terça-feira, 8 de abril de 2008

Juízo


Foi sem saber nada sobre o documentário Juízo que eu fui ontem ao cinema. Depois de 90 minutos percebi que arriscar às vezes é bom.


O filme, que fala sobre jovens infratores, deve ter pouca relevância para os moradores do bairro onde o cinema fica localizado, mas teve bastante relavância pra mim, que sou mais próximo da realidade do filme.


Mais próximo porque pude reconhecer muitos lugares mencionados no documentário, passando inclusive, por um deles na longa volta pra casa. Essa proximidade com a realidade às vezes pode nos fazer mal, mas quando vem dessa forma, como um documentário, só serve para abrirmos mais os olhos.


Passar por um local que foi mencionado num documentário não me torna um entendido no assunto, nem me torna menos culpado pelo problema social do nosso país. A verdade é que a realidade mostrada no filme pouco faz parte da minha vida. Isso porque com o tempo nos acostumamos a ver esse tipo de notícia em telejornais. Então elas acabam passando "desapercebidas", como apenas mais um caso.


A notícia que antes era indigesta e hoje nem reparamos, mostra a cara novamente nesse documentário. Para que novamente se torne indigesta, pelo menos para algumas poucas pessoas. Talvez assim, crianças e adolescentes não sejam reduzidas a tristes estatísticas, como no final do filme.



[ Michel Costa ]

Um comentário:

Priscila Moraes disse...

Eu adoro arriscar. Sempre encontro bons filmes =)

Quero ver o documentário. Viu em que cinema?

Bjoo